Quinto Passo

 

ORAÇÃO PARA O QUINTO PASSO


PODER SUPERIOR, meu inventário mostrou-me quem sou, contudo peço a TUA ajuda para admitir as minhas falhas à outra pessoa e à TÍ. Infunde confiança em mim e fica comigo neste passo, pois sem ele não posso prosseguir em minha recuperação. Com TUA ajuda posso faze-lo, e o farei.

 

 

ADMITIMOS PERANTE DEUS, PERANTE NÓS MESMOS E PERANTE OUTRO SER HUMANO A NATUREZA EXATA DE NOSAS FALHAS.


O Quinto Passo é a chave para a liberdade. Ele permite vivermos limpos no presente. Partilhando a natureza exata de nossas falhas, somos libertados para viver. Depois de fazermos um Quarto Passo completo, lidamos com o conteúdo do nosso inventário. Dizem-nos que, se guardarmos estes defeitos dentro de nós, eles nos levarão à usar de novo. O Apego ao nosso passado acabaria por nos adoecer e nos impedir de fazer parte da nossa nova maneira de viver. Se não formos honestos, quando damos o Quinto Passo, teremos os mesmos resultados negativos que a desonestidade nos trazia no passado.
O Quinto Passo sugere que admitimos à DEUS, à nós mesmos e à outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas. Olhamos nossas falhas. Examinamos os nossos padrões de comportamento e começamos a ver os aspectos mais profundos da nossa doença. Agora, sentamos com outra pessoa e partilhamos o nosso inventário em voz alta.
Nosso PODER SUPERIOR estará conosco durante o nosso Quinto Passo. Receberemos ajuda e estaremos livres para encarar à nós mesmos e à outro ser humano. Parecia ser desnecessário admitir a natureza exata de nossas falhas ao nosso PODER SUPERIOR. DEUS já sabe de tudo isso, racionalizamos. Embora ELE já o saiba, a admissão deve vir dos nossos próprios lábios, para que seja verdadeiramente efetiva. O Quinto Passo não é simplesmente a leitura do Quarto Passo.
Durante anos, evitamos ver como realmente éramos. Tínhamos vergonha de nós mesmos e nos sentíamos isolados do resto do mundo. Agora que capturamos a parte vergonhosa do nosso passado, podemos varrê-la de nossas vidas, se a encaramos e admitimos. Seria trágico escrever tudo e depois jogar numa gaveta. Estes defeitos crescem no escuro e morrem à luz da exposição.
Antes de virmos para o grupo de auto-ajuda ou para a Fazenda do Senhor Jesus, sentíamos que ninguém podia compreender as coisas que tínhamos feito. Temíamos que, se alguma vez revelássemos como éramos de fato, certamente seriamos rejeitados. A Maioria dos dependentes químicos sente-se desconfortável com isto. Reconhecemos que não temos sido realistas, sentindo-nos assim. Nossos companheiros nos compreendem.
Temos que escolher com cuidado a pessoa que vai ouvir o nosso Quinto Passo. Devemos Ter certeza de que ela sabe o que estamos fazendo e o porquê. Apesar de não haver regra rígida quanto à pessoa que escolhemos, é importante confiarmos nela. Só tendo total confiança na integridade e discrição da pessoa, podemos nos dispor à fazer este passo completo.
Alguns de nós dão o Quinto Passo com um estranho, embora alguns de nós se sintam mais à vontade, escolhendo um membro do grupo de auto-ajuda, da Fazenda, da Coordenação ou até mesmo da Diretoria. Sabemos que um outro dependente tem menos tendência de nos julgar com malícia e incompreensão.
Uma vez feita a escolha, e a sós com esta pessoa, nós prosseguimos com o seu encorajamento. Queremos ser precisos, honestos e profundos, compreendendo que é uma questão de vida ou de morte.
Alguns de nós tentaram esconder parte de seu passado, tentando encontrar uma maneira mais fácil de lidar com os sentimentos mais profundos. Podemos achar que já fizemos muito, escrevendo sobre o nosso passado. É um erro que não podemos permitir. Este passo vai expor nossos motivos e nossas ações. Não podemos esperar que estas coisas se revelem sozinhas. Finalmente nossa vergonha é superada, e podemos evitar culpa futura.
Nós não procrastinamos. Temos que ser exatos. Queremos contar a verdade simples, nua e crua, o mais rápido possível. Há sempre o perigo de exagerarmos nossas falhas. É igualmente perigoso minimizar ou racionalizar nosso papel em situações passadas. Apesar de tudo, ainda queremos parecer bons.
Os Dependentes tendem à levar vidas secretas. Durante muitos anos, encobrimos a nossa pouca auto-estima, esperando enganar pessoas com imagens falsas. Infelizmente enganamos à nós mesmos mais do que à qualquer outra pessoa. Embora muitas vezes parecêssemos atraentes e confiantes por fora, estávamos, na verdade, escondendo uma pessoa insegura e vacilante por dentro. Temos que abandonar as máscaras. Partilhamos o nosso inventário como ele está escrito, sem omitir nada. Continuamos abordando este passo, com honestidade e profundidade, até o fim. É um alívio enorme nos livrarmos de todos os segredos e partilharmos a carga do nosso passado.
À Medida que partilhamos este passo, geralmente o ouvinte também vai partilhando um pouco da sua história. Descobrimos que não somos os únicos. Vemos através da aceitação do nosso confidente, que podemos ser aceitos como somos.
Talvez nunca nos lembramos de todos os nosso erros passados.. Mas podemos fazer o melhor e mais completo esforço. Começamos à experimentar verdadeiros sentimentos pessoais de natureza espiritual. Onde antes tínhamos teorias espirituais, começamos agora à despertar para uma realidade espiritual. Este exame inicial de nós mesmos, geralmente, revela alguns padrões de comportamento que não apreciamos particularmente. Entretanto, encarando esses padrões e trazendo-os para fora, temos a possibilidade de lidar com eles construtivamente. Não podemos fazer essas mudanças sozinhos. Precisamos da ajuda de DEUS, da maneira como nós o concebíamos, da irmandade de N. A. e/ou da Fazenda.

Voltar