Décimo Primeiro Passo

 

ORAÇÃO PARA O DÉCIMO PRIMEIRO PASSO


PODER SUPERIOR, como te concebo, rogo que mantenhas minha ligação contigo franca e livre da confusão cotidiana. Por intermédio de minhas preces e meditações, rogo principalmente para me livras da obstinação, da racionalização e das veleidades. Rogo que me guies para o pensamento correto e a ação positiva. Seja feita a TUA vontade, PODER SUPERIOR, não a minha.

 

 

PROCURAMOS ATRAVÉS DA PRECE E MEDIDAÇÃO MELHORAR NOSSO CONTATO CONSCIENTE COM DEUS, NA FORMA EM QUE O CONCEBÍASMOS, ROGANDO APENAS O CONHECIMENTO DE SUA VONTADE EM RELAÇÃO À NÓS E FORÇAS PARA REALIZAR ESSA VONTADE.

Os primeiros dez passos prepararam o terreno para melhorarmos o nosso contato consciente com DEUS da nossa compreensão. Eles nos dão a base para alcançarmos nossas metas positivas que, há muito buscamos. Entrando nesta fase do nosso programa espiritual, através da prática dos dez passos anteriores, a maioria de nós acolhe de bom grado, o exercício da prece e da meditação (oração). Nosso estado espiritual é o alicerce de uma recuperação bem sucedida, que oferece crescimento ilimitado.
Muitos de nós começam realmente à apreciar a recuperação quando chegam ao Décimo Primeiro Passo. Neste Passo nossas vidas adquirem um significado mais profundo.
Deixando de controlar ganhamos um poder muitíssimo maior através da rendição.
A natureza da nossa crença irá determinar a maneira como oramos ou meditamos. Só precisamos da certeza de que temos um sistema de crença que funcione para nós. Os resultados contam na recuperação. Como já foi dito anteriormente, as nossas preces parecem funcionar, assim que entramos no programa de recuperação e nos rendemos à nossa doença. O contato consciente descrito neste passo é o resultado direto da vivência dos passos. Usamos este passo para melhorar e manter nosso estado espiritual.
Quando viemos para Fazenda, ou grupo de auto-ajuda, recebemos a ajuda de um PODER SUPERIOR. Isto se deu com a nossa rendição ao programa. O objetivo do Décimo Primeiro Passo é aumentar a nossa consciência desse PODER e melhorar a nossa capacidade de usá-LO como fonte de força em nossas vidas.
Quanto mais aprimorarmos o nosso contato com nosso DEUS, através da prece e da meditação, mais fácil fica dizer: Seja feita a SUA vontade e não a minha. Podemos pedir a ajuda de DEUS quando precisamos, e nossas vidas melhoram. Nem sempre as experiências dos outros com a meditação e crenças religiosas individuais são adequadas para nós. O Programa dos Doze Passos é um programa espiritual. Quando chegamos ao Décimo Primeiro Passo, já identificamos e lidamos com os defeitos de caráter, que nos causavam problemas no passado, através do trabalho dos dez passos anteriores. A imagem do tipo de pessoa que gostaríamos de ser é apenas um vislumbre da palavra de DEUS para nós. Freqüentemente a nossa perspectiva é tão limitada que só conseguimos ver as nossas necessidades imediatas.
É fácil recairmos nas nossas velhas maneiras. Temos que aprender à manter as nossas vidas numa sólida base espiritual, para assegurarmos a continuidade do nosso crescimento e da nossa recuperação. DEUS não vai nos impor a SUA bondade, mas podemos recebê-la, se a pedirmos. Geralmente, sentimos uma diferença na hora, ma, só mais tarde, notamos a diferença em nossas vidas. Quando, finalmente, tiramos nossos motivos egoístas do caminho, começamos à descobrir uma paz que nunca imaginávamos ser possível. A moralidade forçada não tem o poder que vem à nós, quando escolhemos uma vida espiritual. A maioria de nós reza, quando está com dor. Aprendemos que, se rezarmos com regularidade, não sentiremos dor com tanta freqüência ou com tanta intensidade.
Fora dos grupo de auto ajuda, tais como Narcóticos Anônimos e até mesmo Alcoólicos Anônimos, existem incontáveis grupos diferentes que praticam a prece e meditação. Quase todos esses grupos estão ligados à uma determinada religião ou filosofia. O endosso de qualquer desses métodos seria uma violação à filosofia e à tradições de grupos anônimos. A meditação permite que nos desenvolvamos espiritualmente da nossa maneira. Algumas das coisas que não funcionavam para nós no passado, poderão funcionar hoje. Temos um novo olhar à cada dia, com a mente aberta. Sabemos que, se rogarmos a vontade de DEUS, receberemos o que for melhor para nós, independente do que pensamos. Este conhecimento é baseado na nossa crença e na nossa experiência como dependentes químicos em recuperação.
Orar é comunicar nossas preocupações com um PODER SUPERIOR. Às vezes, quando rezamos, acontece uma coisa impressionante: encontramos os meios, as maneiras e energias para realizar tarefas que estão muito além das nossas capacidades. Alcançamos a força ilimitada, que nos proporcionam a oração diária e a rendição, enquanto mantivermos a fé e a renovarmos.
Para alguns, oração é pedir ajuda de DEUS; meditação é escutar a resposta de DEUS. Aprendemos à ser cuidadosos ao rezar por coisas específicas.
Rezamos para que DEUS nos mostre a SUA vontade, e para que nos ajude à realiza-la. Em alguns casos, a SUA vontade é tão óbvia que temos pouca dificuldade em vê-la. Em outros, estamos tão egocêntricos que só aceitaremos a vontade de DEUS, após muita luta e rendição. Se rogamos à DEUS que remova quaisquer influências que nos distraiam, a qualidade das nossas preces geralmente melhora e sentimos a diferença. A prece exige prática, e devemos nos lembrar que as pessoas habilidosas não nascem com suas habilidades. Foi preciso muito esforço da parte delas para desenvolvê-las. Através da prece, buscamos o contato consciente com nosso DEUS. Na meditação, alcançamos este contato, e o Décimo Primeiro Passo nos ajuda à mantê-lo.
Podemos Ter sido expostos à muitas religiões e disciplinas meditativas, antes de chegarmos à Narcóticos Anônimos. Alguns de nós estavam aniquilados e totalmente confusos por causa destas praticas. Estávamos certos de que era vontade de DEUS que usássemos drogas e/ou álcool para alcançarmos uma consciência mais elevada. Muitos de nós se encontravam em estados muito estranhos como resultados destas práticas. Nunca suspeitamos que os efeitos prejudiciais da nossa dependência fossem a raiz da nossa dificuldade, e seguíamos até o fim qualquer caminho que oferecesse esperança.
Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós.
O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso. Alguns de nós chegaram ao programa quebrados e se agüentaram por um tempo, só para encontrarem DEUS ou a salvação em algum tipo de culto religioso. É fácil flutuarmos porta à fora numa nuvem de fervor religioso, e esquecermos que somos dependentes químicos com uma doença incurável.
Diz-se que, para a meditação Ter algum valor, os resultados deverão ser sentidos nas nossas vidas cotidianas. Este fato está implícito no Décimo Primeiro Passo: SUA vontade em relação à nós e o poder de realizar esta vontade. Para aqueles de nós que não rezam, a meditação é a única maneira de realizar este passo.
Rezamos porque nos traz paz e devolve a nossa confiança e coragem. Ajuda-nos à viver uma vida livre do medo e da desconfiança. Quando removemos os nossos motivos egoístas, e rogamos por orientação, descobrimos sentimentos de paz e serenidade. Começamos a vivenciar uma consciência e uma empatia com as outras pessoas, o que não era possível antes de trabalhar este passo.
À medida que buscamos o nosso contato pessoal com DEUS, começamos à desabrochar como uma flor para o sol. Começamos à ver que o amor de DEUS esteve sempre presente, apenas esperando que nós o aceitássemos. Fazemos o trabalho de base e aceitamos o que nos tem sido dado livremente à cada dia. Descobrimos que ficamos mais à vontade com a idéia de confiar em DEUS.
Quando chegamos pela primeira vez ao programa, costumamos pedir muitas coisas que parecem ser vontades e necessidades importantes. À medida que crescemos espiritualmente e encontramos um PODER SUPERIOR, começamos à perceber que, enquanto as nossas necessidades espirituais forem satisfeitas, os nossos problemas existenciais estão reduzidos à um nível confortável.
Quando esquecemos onde reside a nossa verdadeira força, rapidamente ficamos sujeitos aos mesmos padrões de pensamento e ações que primeiro nos trouxeram para o programa. Acabamos redefinindo as nossas crenças e a nossa compreensão até enxergar que a nossa maior necessidade é o conhecimento da vontade de DEUS em relação à nós e a força para realiza-la. Conseguimos deixar de lado algumas das nossas preferencias pessoais, pois aprendemos que a vontade de DEUS em relação à nós consiste nas coisas que mais valorizamos. A vontade de DEUS para nós torna-se a nossa própria verdadeira vontade. Isso acontece de uma maneira intuitiva, que não pode ser adequadamente explicada em palavras.
Começamos à sentir vontade de deixar que os outros sejam quem são, sem precisar-mos julga-los. Perdemos a urgência de controlar as coisas. No princípio, não podíamos compreender a aceitação; hoje, podemos.
Sabemos que DEUS nos deu tudo aquilo que precisamos para o nosso bem-estar espiritual, independente do que o dia nos trouxe. É certo admitirmos a nossa impotência, pois DEUS é suficientemente poderoso para ajudar à nos mantermos limpos e à desfrutarmos o progresso espiritual. DEUS está nos ajudando à arrumar a casa.
Começamos a perceber mais claramente o que é real. Através do contato constante com o nosso PODER SUPERIOR, as respostas que buscamos vêm até nós. Ganhamos a capacidade de fazer o que não conseguimos. Respeitamos s crenças dos outros. Nós os encorajamos à procurar força e orientação de acordo com a sua crença.
Somos gratos à este passo, pois começamos à ter o que é melhor para nós. Às vezes, rezávamos de acordo com as nossas vontades, e éramos encurralados por elas. Podíamos rezar e conseguir alguma coisa, e depois ter que rezar pela sua remoção, porque não éramos capazes de lidar com ela.
Esperamos que, tendo aprendido o poder da oração e a responsabilidade que ela traz consigo, possamos usar o Décimo Primeiro Passo como uma diretriz do nosso programa diário.
Começamos a rogar apenas a vontade de DEUS em relação à nós. Desta maneira alcançamos apenas aquilo com o que somos capazes de lidar. Somos capazes de corresponder e de lidar com isso, pois DEUS nos ajuda à nos prepararmos. Alguns de nós simplesmente usam a palavra para agradecer a graça de DEUS.
Com uma atitude de rendição e humildade, retomamos este passo, repetidamente, para recebermos a dádiva do conhecimento e da força do DEUS da nossa compreensão. O Passo Dez limpa os erros do presente, para que possamos trabalhar o Passo Onze. Sem aquele passo, seria improvável que pudéssemos experimentar um despertar espiritual, praticar princípios espirituais nas nossas vidas, ou levar uma mensagem capaz de atrair outras pessoas para a recuperação. Existe um princípio espiritual de dar aquilo que nos foi dado dentro do grupo de auto ajuda e dentro da Fazenda do Senhor Jesus, para podermos mente-lo. Ao ajudarmos os outros à se manterem limpos, desfrutamos os benefícios da riqueza espiritual que encontramos. Temos que dar livremente e com gratidão o que nos foi dado livremente e com gratidão.

Voltar